Rodoanel Norte
Acessibilidade A+ A- C

Rodoanel Norte viabiliza pesquisa sobre biomassa e carbono que traz importantes dados ambientais

Pesquisa pioneira realizada revela novas informações que poderão ser utilizadas na prevenção contra o aumento da temperatura média do planeta

Estudo realizado em áreas de supressão para a implantação do empreendimento ajuda a prevenir contra o aquecimento global

São Paulo, 5 de maio de 2016 – Pesquisa pioneira realizada com apoio da DERSA – Desenvolvimento Rodoviário S/A e em parceria com o Instituto de Botânica do Estado, no Programa de Pós-Graduação em Recursos Florestais da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da USP, revela novas informações que poderão ser utilizadas na prevenção contra o aumento da temperatura média do planeta.

A tese de doutorado, desenvolvida pelo engenheiro agrônomo Tiago Cavalheiro Barbosa,  apresenta o real sequestro de carbono em áreas de Mata Atlântica, ou seja, de floresta biodiversa. Por meio do aproveitamento direto de troncos e galhos, o trabalho quantifica a biomassa de árvores  e o armazenamento de carbono, principal componente dos gases do efeito estufa.
 
A pesquisa foi realizada em 8 mil metros quadrados amostrais de áreas de supressão vegetal autorizada das obras do Rodoanel Norte. A partir de seus resultados, já é possível saber que a vegetação típica da Mata Atlântica sequestra mais carbono do que até então era estimado em estudos realizados de forma indireta, por meio de coletas de medidas biométricas das árvores, tais como diâmetro e altura dos indivíduos.

“O pioneirismo está na coleta direta do material nas áreas em que houve supressão de árvores”, afirma o pesquisador. “Estivemos no local, onde as espécies amostrais foram selecionadas, os troncos e galhos das árvores foram pesados em balanças portáteis e as amostras foram recolhidas de partes aéreas para os ensaios de laboratório.”

A definição das espécies para análise de biomassa e carbono foi fundamentada em inventário florestal realizado no próprio local. Foram selecionadas 106 árvores pertencentes a 16 espécies, que representavam 70% dos indivíduos amostrados nos 8 mil metros quadrados. Desta forma, amostras de madeira (troncos) e quantificação da biomassa (galhada) das árvores suprimidas foram medidas, pesadas e coletadas com a colaboração de uma equipe multidisciplinar, incluindo funcionários da DERSA e das empreiteiras responsáveis pela construção do Rodoanel Norte.

O estudo oferece ferramentas que contribuem para o incentivo da preservação de áreas verdes. O sequestro de carbono pode ser um instrumento para órgãos públicos e privados definirem os pagamentos por essa preservação. “Isso já é feito em alguns municípios, e agora temos mais um instrumento de medição”, explica Barbosa.

O conceito biomassa florestal refere-se à parte vegetativa da floresta. É a fração biodegradável dos produtos gerados e que são processados com fins energéticos. É um conceito utilizado com mais frequência quando relacionado a sustentabilidade.
Já o carbono é um elemento químico extremamente importante por ser indispensável à existência da vida. É também um dos principais componente dos gases do efeito estufa.

A quantidade de biomassa florestal e o teor de carbono (sequestro de carbono) podem variar em função do tipo florestal e sua localização. O sequestro é um processo de remoção de gás carbônico por meio de fotossíntese, que captura o carbono e lança oxigênio na atmosfera.