Meio Ambiente
Acessibilidade A+ A- C

Audiências públicas discutirão licenciamento ambiental do Ferroanel Norte a partir de 25/7

Conselho Estadual do Meio Ambiente convoca quatro eventos para os municípios a serem cortados pelo traçado do futuro tramo ferroviário

São Paulo, 27 de junho de 2017 – O Contorno Ferroviário da Região Metropolitana de São Paulo, ou “Ferroanel”, iniciativa estratégica entre União e Governo do Estado, terá sua primeira audiência pública no dia 25 de julho, em Arujá. Em seguida, será a vez de Itaquaquecetuba, São Paulo e Guarulhos. Estes são os quatro municípios que fazem parte do traçado do Ferroanel Norte, ramal ferroviário de 53 quilômetros de extensão que interligará as estações de Perus, em São Paulo, e de Manoel Feio, em Itaquaquecetuba, em área contígua ao traçado do Rodoanel. O Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental (EIA/Rima) do Trecho Norte do anel ferroviário foi entregue ao Conselho Estadual do Meio Ambiente (Consema) no último dia 23. Nesta terça-feira, 27, o órgão publicou no Diário Oficial do Estado a convocação para as audiências (veja abaixo os dias e os locais).

O EIA e o Rima servirão como base para as análises de viabilidade ambiental do empreendimento e sua discussão com a população. O Estudo foi preparado pela DERSA – Desenvolvimento Rodoviário S/A, empresa vinculada ao Governo do Estado de São Paulo, com recursos repassados pela EPL, empresa pública federal. Os documentos já estão disponíveis para consulta no website da DERSA (http://www.dersa.sp.gov.br/empreendimentos/ferroanel-norte/),
da Cetesb (http://licenciamentoambiental.cetesb.sp.gov.br/eia-rima. Ano 2015 – Processo 282) e da EPL (www.epl.gov.br).

A implantação do Ferroanel Norte possibilitará que os trens de carga que hoje compartilham os mesmos trilhos com os trens da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) sejam desviados, eliminando o conflito entre cargas e passageiros nos trilhos que cortam o interior da metrópole.

O novo ramal permitirá a movimentação de cargas do interior do Estado para o Porto de Santos, bem como a passagem de comboios entre o interior e o Vale do Paraíba. A transposição da Região Metropolitana de São Paulo em uma via dedicada terá a função de transferir cargas, hoje rodoviárias, para o modo ferroviário. As projeções indicam a retirada a médio prazo de 2,8 mil caminhões/dia das estradas com boa possibilidade desse número superar 7,3 mil caminhões/dia ao longo do tempo.


Quando e onde

25 de julho, 17h, em Arujá
União Arujaense Futebol Clube, Rua Júlio Antonio dos Santos, 100, Bairro Barbosa

27 de julho, 17h, em Itaquaquecetuba
Centro Esportivo Municipal – CEMI, Rua Manoel Garcia, 160, Centro

31 de julho, 17h, em São Paulo
CEU Jaçanã/Tremembé – Rua Francisca Espólio Tonetti, 105, Jardim Guapira

1º de agosto, 17h, em Guarulhos
Teatro do Centro Municipal Adamastor, Avenida Monteiro Lobato, 734, Bairro Macedo

RAIO X
Extensão
53,05 Km
Localização
São Paulo, Guarulhos, Arujá e Itaquaquecetuba
Traçado
Estação Perus (São Paulo) até Estação Engenheiro Manoel Feio (Itaquaquecetuba)
Investimento
R$ 3,4 bilhões
Cargas
67 milhões de toneladas/ano até 2040

Benefícios
Retirar 7 mil caminhões por dia das estradas
Separar tráfegos ferroviários de carga e de passageiros
Movimentar cargas com menor custo logístico
Melhorar transporte de passageiros sobre trilhos
Aumentar competitividade das empresas
Desafogar trânsito na Região Metropolitana de São Paulo
Diminuir emissão de poluentes
Reduzir custo final de produtos